De tempos em tempos, quando a maré vaza, formam-se bancos de areia em que se pode ir a pé até ao Forte da Ínsua


Sabia que...

De tempos em tempos, quando a maré vaza, formam-se bancos de areia em que se pode ir a pé até ao Forte da Ínsua, localizado numa ilha junto ao estuário do rio Minho, em Moledo, Caminha. O recuo do mar já permitiu várias vezes o acesso ao Forte da Ínsua por terra, através de uma língua de areia que ligou a costa àquele ilhéu de areia e pedra. As provas documentais registam esse acontecimento em 1582, 1629, 1708, 1895 e 1947. Milhares de pessoas percorreram então a pé e em carros de bois os cerca de 200 metros de distância. Em 2001, o fenómeno repetiu-se, ainda que o nível da água desse pelo joelho e pelo peito.

O Forte da Ínsua, cuja muralha e interior beneficiou de algumas obras de restauro em 2001, foi construído no século XVII, sob o reinado de D. João IV, para defender o Convento de Santa Maria de Ínsua (edificado pela Ordem dos Franciscanos no século XIV), que se encontra na praça de armas do forte, e reforçar a defesa da costa portuguesa durante a Guerra da Restauração.

De referir ainda que possui um poço de água doce, um dos três únicos do mundo situados no mar. A fortaleza pode ser visitada pelo público, sendo a travessia até à ínsua assegurada pela Capitania do Porto de Caminha.