Certificados e galardões


Green Destinations

A Green Destinations Foundation promove a sustentabilidade dos destinos turísticos, galardoando e certificando os mesmos de acordo com critérios ambientais, culturais, económicos, sociais e de gestão. 

O programa Green Destinations Awards & Certification galardoa, certifica e promove destinos turísticos sustentáveis, a nível internacional, de acordo com mais de 100 critérios. O reconhecimento dos destinos é obtido após o preenchimento dos campos da plataforma abrangendo mais de 100 critérios e indicadores de sustentabilidade divididos por seis temáticas, e uma auditoria independente no local. Os galardões são um reconhecimento dos esforços dos destinos, neste caso do Alto Minho, na manutenção da atratividade do seu turismo no futuro. Neste processo não são medidos apenas aspetos visíveis e tangíveis, como o património natural, mas também políticas e planos de gestão que tenham em atenção os princípios do desenvolvimento sustentável. 

O Alto Minho foi premiado com o galardão Platinum QualityCoast/ Green Destinations Award (Destino Verde/ Costeiro Platina), no seguimento de uma candidatura submetida pela CIM Alto Minho ao programa Green Destinations Awards & Certification. Este galardão reconhece a política de sustentabilidade e o trabalho das entidades do território rumo à sustentabilidade, bem como a excelência na gestão de destinos sustentáveis, que passa por aspetos como a conservação da natureza e do património, a gestão de resíduos, a energia e o clima.

Importa mencionar que o galardão QualityCoast/ Green Destinations Platinum é um grande passo para a obtenção da certificação de desempenho sustentável do território, a qual é totalmente baseada em evidências e verificada de forma independente, de acordo com os padrões internacionais ditados pelo Conselho Global de Turismo Sustentável (GSTC). Como melhoria para o futuro, e que pode contribuir para a certificação do território, foi recomendado que se apostasse no desenvolvimento de uma "economia verde"; se envolvesse o sector privado na tomada de medidas de sustentabilidade; e se promovesse o reconhecimento de boas práticas ambientais entre os empresários.

Em síntese, o programa de atribuição de galardões e certificação da Green Destinations desafia os destinos (municípios, regiões, áreas protegidas e propriedades privadas) a promover a gestão responsável de forma contínua e sustentada com o objetivo de estimular o sector do turismo a implementar práticas ambientais importantes. Os destinos participantes envolvem-se num sistema de gestão sustentável, com uma verificação independente de desempenho e progresso, a cada 2 anos, e recomendações de melhorias. A certificação Green Destinations (destinos verdes) é acreditada pelo GSTC. Mais informações em www.greendestinations.org.



Estação Náutica do Alto Minho

A região do Alto Minho foi reconhecida, em 2018, como uma das Estações Náuticas (EN) de Portugal. Este selo de qualidade foi atribuído na sequência de um processo de candidatura da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) à Fórum Oceano - Associação de Economia do Mar, entidade responsável pela certificação. 

Reconhecendo a valia dos recursos e o potencial que Portugal apresenta na área do turismo náutico e tendo como exemplo as experiências existentes em França e em Espanha, a Fórum Oceano - Associação de Economia do Mar lançou o desafio aos territórios e entidades e organizações nacionais que detêm competências na área da náutica, para a certificação dos mesmos enquanto Estações Náuticas.

Entende-se por EN uma rede de oferta turística náutica de qualidade, organizada a partir da valorização integrada dos recursos náuticos presentes num território, que inclui a oferta de alojamento, restauração, atividades náuticas e outras atividades e serviços relevantes para a atração de turistas e outros utilizadores, acrescentando valor e criando experiências diversificadas e integradas. Desta forma, a EN apresenta-se como uma plataforma de cooperação entre atores identificados com um território e que asseguram a oferta de um produto turístico.

A certificação do Alto Minho como Estação Náutica permite dar continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no território na área do turismo náutico e reforçar uma rede de atuação conjunta de âmbito local e regional que agregue, fomente e consolide todos os recursos e serviços relacionados com o sector, garantindo uma oferta integrada, competitiva e de qualidade, que promova o Alto Minho como um destino de excelência para a prática de atividades náuticas. 

Mais informações em https://www.nauticalportugal.com/.



Top 100 Sustainable Destinations 2018

O Alto Minho integra a lista dos 100 melhores destinos sustentáveis do mundo no âmbito da iniciativa “Top 100 Sustainable Destinations 2018”.

Este selo de qualidade resulta de uma candidatura apresentada em abril de 2018 pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) à Green Destinations, rede institucional que lidera uma parceria de 15 organizações internacionais especializadas em turismo sustentável e avalia os destinos concorrentes a nível mundial. A competição teve como principal objetivo “destacar histórias de sucesso e trocar boas práticas para tornar os destinos turísticos mais sustentáveis, gerando benefícios para as comunidades locais e para os viajantes”. O tema escolhido para a edição de 2018 foi precisamente “Turismo para beneficiar as comunidades locais”.

A região do Alto Minho mostrou ter um bom desempenho nos 30 critérios chave avaliados, relacionados, por exemplo, com as potencialidades do destino; medidas de proteção e conservação da natureza e meio ambiente e dos recursos culturais e tradições; a qualidade do ar; saúde e bem-estar social; a promoção de produtos locais e serviços ou a oferta de operadores turísticos, alcançando uma cotação de 8,7 em 10 pontos possíveis, ou seja, bastante acima do limiar mínimo estabelecido de 6,7 pontos.

Entre os melhores destinos sustentáveis do mundo de 2018, encontram-se as regiões de Kamaishi (Japão), Ajloun Forest Reserve (Jordánia), Vail (Colorado, nos EUA), Lyngenfjord (Noruega), Vancouver (Canadá), Bretagne (França), Town of Drnis (Croácia), Nijmegen (Holanda), Islas Atlânticas de Galicia (Espanha), Suwon Hwaseong (Coreia do Sul) e Malmo (Suécia). A lista do Top 100 de 2018 está disponível no site www.sustainabletop100.org

Portugal conseguiu a nomeação de dez destinos (que é o número máximo de destinos por país) para este título. Assim, além do Alto Minho, figuram também na lista de nomeados de 2018 o Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG), o único parque nacional do país, classificado como Reserva Mundial da Biosfera, pela UNESCO, e que integra no seu território parte dos concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço e Ponte da Barca; mas também o arquipélago dos Açores; a região do Oeste de Portugal; as Serras do Socorro e Archeira; Cascais; Lagos; Sintra; Torres Vedras e Águeda.

Refira-se que o Alto Minho, conhecido por ser uma região certificada pela sua excelência natural, tem cerca de 30 por cento do seu território incluído na Rede Natura 2000, sendo também a primeira NUTS III de Portugal Continental a possuir o galardão da Carta Europeia de Turismo Sustentável (CETS), concedida pela Federação Europeia de Parques Nacionais e Naturais (Federação EUROPARC).

A apresentação em vídeo do território do Alto Minho como um dos 100 melhores destinos sustentáveis do mundo está disponível no seguinte endereço: http://youtu.be/Zl5TIqrR1xE.



CETS - Carta Europeia de Turismo Sustentável

O Alto Minho é a primeira NUTS III do Continente com todo o território certificado no âmbito da Carta Europeia do Turismo Sustentável (CETS). A candidatura à CETS do Alto Minho foi promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) no âmbito do projeto BIOLANDSCAPE ALTO MINHO, cofinanciado pelo PO Norte (ON.2), tendo sido aprovada em 2015, por unanimidade, pela Comissão de Avaliação da Federação Europeia de Parques Nacionais e Naturais – Federação EUROPARC.

A Carta Europeia de Turismo Sustentável do Alto Minho integra o território constituído pelos concelhos de Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Monção, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira, abrangendo um conjunto de oito áreas protegidas e classificadas, são elas: a Paisagem Protegida do Corno do Bico; a Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e de São Pedro d’Arcos; os Sítios da Rede Natura 2000 do Litoral Norte, dos rios Minho e Lima, da Serra de Arga e do Corno do Bico; e a Zona de Proteção Especial da Rede Natura 2000 Estuários dos Rios Minho e Coura. No Alto Minho, os municípios de Arcos de Valdevez, Melgaço e Ponte da Barca já possuem o galardão CETS desde 2002, através da candidatura do Parque Nacional da Peneda Gerês – PNPG, que foi coordenada pela ADERE-PG e que foi já objeto de renovação. 

Além da existência de espaços de grande valor natural que conferem a primeira condição de aptidão para o Turismo de Natureza, o Alto Minho goza ainda da diversidade de recursos culturais, patrimoniais e náuticos que lhe conferem um vasto leque de oportunidades em termos de competitividade territorial, agora reforçada com este reconhecimento internacional.

Rerfira-se que a CETS é uma ferramenta desenhada, avaliada e certificada pela Federação EUROPARC, que tem o intuito de promover o desenvolvimento de um turismo sustentável em áreas protegidas e classificadas. A imagem do território como um único destino turístico, a inserção numa rede europeia de destinos de excelência, uma melhor organização da oferta turística, o reconhecimento da importância da população local e dos empresários no processo de planeamento e desenvolvimento da atividade turística, uma maior satisfação dos visitantes e um maior retorno na economia local da atividade turística, a promoção da preservação dos valores naturais e culturais do território e o acesso a programas específicos de cofinanciamento, são apenas algumas das vantagens da adesão a esta iniciativa

O processo da CETS do Alto Minho pode ser acompanhado através do website www.cets.altominho.pt.