Terça-feira 23 de Maio, 2017
pesquisa
#
#
Seja bem-vindo
Fique a conhecer melhor o Alto Minho e os dez concelhos que compõem este espaço territorial: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte do Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira. Veja ainda as notícias, curiosidades, rotas turísticas, guias, informação de apoio empresarial e muito mais sobre esta região do Noroeste português.
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
Recursos Históricos, Culturais e Patrimoniais

Com uma ocupação humana que remonta a tempos imemoráveis, o Alto Minho apresenta um importante conjunto de testemunhos dessa ocupação, com 871 sítios arqueológicos identificados e intervencionados pelo IGESPAR - Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico (arte rupestre, povoados castrejos, antas, mamoas, necrópole, miliários, vestígios diversos), os aglomerados rurais, o Caminho Português de Santiago de Compostela (Caminho do Lima, Caminho do Noroeste; Caminho do Norte e Caminho da Geira Romana).
A região conta com 173 imóveis classificados pelo IGESPAR, sendo a sua grande maioria Imóveis de Interesse Público e Monumentos Nacionais, com especial destaque para o património civil (fortalezas, castelos e fortes, a XIX via romana, o complexo mineiro da época romana, pontes, pelourinhos, paços, palacetes, torres, palácios e solares) e o património religioso (igrejas, capelas, cruzeiros, mosteiros, conventos).
Os centros históricos dos dez concelhos do Alto Minho são espaços urbanos de antiquíssima fundação que representam atualmente fortes pólos de atração para os visitantes. O património artístico/cultural também representa nesta região um potencial enorme na captação de visitantes e turistas, nomeadamente os museus (Museu do Ouro e do Traje em Viana do Castelo; Museu do Cinema em Melgaço; o Aquamuseu em Vila Nova de Cerveira; o Museu Ferroviário em Valença; o Museu do Brinquedo e o Museu de Arte Sacra e Arqueologia em Ponte de Lima), os centros de interpretação, as galerias e mostras de artesanato. O folclore, as feiras, as festas e romarias são outras manifestações culturais que potenciam e valorizam económica e socialmente a região do Alto Minho.