Sexta-feira 20 de Outubro, 2017
pesquisa
#
#
Seja bem-vindo
Fique a conhecer melhor o Alto Minho e os dez concelhos que compõem este espaço territorial: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte do Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira. Veja ainda as notícias, curiosidades, rotas turísticas, guias, informação de apoio empresarial e muito mais sobre esta região do Noroeste português.
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
Fortes da Raia Fluvial

As fortificações no Alto Minho surgem não só na costa atlântica, como na zona de fronteira. Ao longo do curso acidentado do rio Minho, desde a foz do Minho (em Caminha) até à remota vila de Melgaço, magníficas fortalezas seiscentistas ou castelos medievais testemunham a importância estratégica desta fronteira com 800 anos.

Começando pela vila de Caminha, das muralhas que por essa época rodeavam a povoação, restam hoje algumas portas e dois baluartes - o Baluarte da Matriz, junto à Igreja Matriz, e o Baluarte de Santo António, perto do Convento de Santo António – para além da Torre do Relógio (entre a Praça Municipal e a Rua Direita), último reduto da antiga cerca medieval.

A situação de fronteira justificou também a construção de um Castelo, em Vila Nova de Cerveira, durante o reinado de D. Dinis (1305 a 1308), sobre um pequeno morro sobranceiro ao rio, com o objetivo de defender a recém-criada povoação de Cerveira das investidas que vinham da margem direita. Do conjunto intramuros salientam-se diversos monumentos, nomeadamente o pelourinho, a igreja e a capela. Classificado como Monumento Nacional, foi convertido em pousada.

Continuando o périplo pelos fortes e castelos da raia fluvial, a Fortaleza de Valença, exemplo clássico de arquitetura militar, edificada no século XVII, com mais de cinco quilómetros de muralha, 10 baluartes, igrejas e casas senhoriais, está numa das maiores e mais bem conservadas fortalezas do mundo. Dela se domina o rio Minho, a ponte metálica desenhada por Gustavo Eiffel, em 1885, e a vila galega de Tui. A cidade intramuros e a sua intensa atividade comercial escondem as mais diversas surpresas.

Já em Monção, das muralhas medievais, construídas no tempo de D. Dinis, resta apenas um trecho junto ao passeio dos Néris. Devido à intensificação das guerras à mão armada, construíram-se outras mais extensas, que compreendiam quatro portas principais: a de Salvaterra, do Rosal, da Fonte (Caldas) e de S. Bento. Consideradas Monumento Nacional, as atuais muralhas resultam de uma modificação ocorrida no começo do século XVIII.

A linha defensiva do rio Minho fica completa em Melgaço, onde se encontram os restos de uma antiga fortificação, que remonta aos primeiros momentos da nacionalidade portuguesa e da qual subsistem a Torre de Menagem e parte da antiga cerca da vila medieval. Nesta torre quadrangular funciona um núcleo museológico sobre o património arquitetónico, histórico e cultural de Melgaço.