Domingo 24 de Junho, 2018
pesquisa
#
#
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
O lagarto de Lamas de Mouro

Em tempos que lá vão, nas imediações da chã de Lamas de Mouro, existia um monstruoso lagarto que afligia toda a população. O enorme réptil postava-se sobranceiro ao caminho que levava à Senhora da Peneda, e todos os que ali passavam eram engolidos pelo seu apetite voraz. Todos os anos, alguns pastores, perdigueiros, e romeiros, que por ali passavam com destino ao Santuário da Senhora, eram vítimas do feroz lagarto.

Ora ali perto, no coto da meadinha, morava uma mulher que passava o tempo a fiar na roca e a assoalhar as suas meadas, aproveitando tão arrumado lugar ao sol. Acontece que um dia esta mulher, em andanças de devota ou de pegureira, passou por perto do lagarto. Ao ver a figura que se aproximava, o terrível sáurio acometeu-a para a devorar. Num supremo e insuspeito esforço a mulher arrancou da cintura uma arma de defesa, que não era outra coisa senão a sua roca! Com extraordinária habilidade desferiu um poderoso golpe no até então invencível réptil, transformando-o em pedra!

Crê-se que a mulher era Nossa Senhora, e a prova do seu feito pode-se ainda hoje ver no lugar dito de Portela do lagarto, nome que advém da forma rochosa que encima o penhasco, pois se assemelha ao repugnante réptil.