Sábado 27 de Maio, 2017
pesquisa
#
#
Seja bem-vindo
Fique a conhecer melhor o Alto Minho e os dez concelhos que compõem este espaço territorial: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte do Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira. Veja ainda as notícias, curiosidades, rotas turísticas, guias, informação de apoio empresarial e muito mais sobre esta região do Noroeste português.
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
Heráldica

O brasão de armas da vila de Monção está presente no Livro dos Brasões das Cidades e Vilas, datado de 1675. Representa, em campo verde uma torre de prata, do alto da qual se erguem três quartos de vulto de uma mulher jovem que, de braços mais descidos que erguidos, segura em cada mão um pão de oiro realçados de negro. De preto, quebrada em sobre céu, a legenda que diz: DEUS O DEU, DEUS O HÁ DADO.

 

A letra e o desenho do brasão conjugam-se para expressar que a localidade heraldicamente representada era uma povoação de habitantes entregues à agricultura em território sujeito aos ataques de inimigo vizinho e que só poderia viver e prosperar sob a protecção da fortaleza, não faltando o substancial socorro divino que claramente expressa.

 


Entretanto, esta imagem está claramente e desde longa data associada a uma conhecida lenda de uma heroína monçanense: Deu-la-Deu Martins, figura mitica que salvou a localidade quando, num rasgo de astúcia, mandou juntar a última farinha para fazer pães, lançando-os, do alto da muralha, aos invasores castelhanos. Estes, vendo tanta fartura, levantaram cerco ao burgo, deixando a história de Monção intimamente ligada a este episódio.